¿O que é uma floresta modelo?
3812
page-template-default,page,page-id-3812,bridge-core-2.6.2,qode-page-transition-enabled,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,side_area_uncovered_from_content,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-24.7,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,qode-wpml-enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-6.5.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-4560,elementor-page elementor-page-3812

Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas

¿O que é uma floresta modelo?

O conceito de “Floresta Modelo” nasceu na década de 1990, quando o governo canadense buscava uma alternativa aos conflitos entre empresas de concessão florestal e comunidades que viviam em áreas florestais. Portanto, as primeiras Florestas Modelo foram criadas no Canadá em 1992 para ajudar a prevenir e resolver esses conflitos sobre o manejo e uso dos recursos naturais.

 

Na América Latina, elas nasceram após 1995, sendo a primeira a Floresta Modelo de Chiloé, localizada no sul do Chile e fundada em 1996.

 

As Florestas Modelo são processos sociais, inclusivos e participativos que buscam o desenvolvimento sustentável de um território e, portanto, contribuem para alcançar os objetivos globais de redução da pobreza, mudanças climáticas, combate à desertificação e metas de desenvolvimento sustentável.

 

Mais de 31 milhões de hectares em 15 países da América Latina fazem parte das 35 Florestas Modelo desta região.

 

As Florestas Modelo da Ibero-América constituem um mosaico de usos e posse da terra, onde se combina a vida dos seus habitantes com várias atividades, que vão desde a agricultura, pecuária, silvicultura, turismo e conservação.

 

Os atores envolvidos buscam avançar na gestão sustentável do território de forma colaborativa e coordenada, para o qual existe uma estrutura de liderança local que coordena ações em temas como áreas protegidas, corredores biológicos, manejo florestal, agricultura sustentável, turismo rural, microcrédito, produção orgânica, gestão de bacias hidrográficas e florestas certificadas, por exemplo.

 

 

Princípios e Atributos

 

As Florestas Modelo em todo o mundo são tão únicas e diversas quanto os países e culturas a que pertencem. Embora cada Floresta Modelo deva definir suas próprias prioridades de programação e estrutura de governança, em escala global, as Florestas Modelo estão ligadas por uma filosofia comum. Todas as Florestas Modelo compartilham seis princípios essenciais que dão coerência ao programa e formam a base para o trabalho em rede.

Princípio 1

Associação de base ampla

Princípio 2

Escala de paisagem

Princípio 3

Compromisso com a sustentabilidade

Princípio 4

Governança adequada

Princípio 5

Amplo programa de atividades

Princípio 6

Compromisso com a transferência de conhecimentos, a geração de capacidades e o trabalho em redes

Critérios e Indicadores

 

Esses seis princípios foram divididos em 23 critérios, que por sua vez foram subdivididos em 68 indicadores para fins de monitoramento e avaliação das Florestas Modelo.