Lachuá
4029
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-4029,bridge-core-2.6.2,qode-page-transition-enabled,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,side_area_uncovered_from_content,footer_responsive_adv,qode-theme-ver-24.7,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,qode-wpml-enabled,wpb-js-composer js-comp-ver-6.5.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-4560

Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas Ligando territórios, ligando pessoas

Floresta Modelo

Lachuá

 

Guatemala

Localização

Ecorregião de Lachuá, município de Cobán, departamento de Alta Verapaz

Extensão

54 000 000 ha

 

POPULAÇÃO

45 000

 

ANO DE AFILIAÇÃO À RLAFM

2008

CONTATO

 

Edgar Raúl Quezada

raulquezadaa@outlook.com

fundalachua@gmail.com

Antecedentes

¿Por que o Bosque Modelo Lachuá foi criado?

 

A Ecorregião de Lachuá é uma das áreas municipais da Guatemala. Nela, as terras altas e arborizadas da Sierra de Chamá convergem com as terras baixas e arborizadas que circundam a bacia do rio Chixoy, criando um ecossistema único para o país em termos de conservação.

 

Esta região abriga o Parque Nacional Laguna Lachuá, que é um dos poucos remanescentes naturais protegidos da verdadeira floresta tropical na Faixa Transversal Norte e na Floresta Maia da Guatemala. A Ecorregião é também o habitat de várias espécies de fauna silvestre, muitas das quais são prioritárias para a conservação por serem endêmicas, ameaçadas ou em perigo de extinção a nível regional e nacional. A Ecorregião de Lachuá é uma zona úmida tropical prioritária e estratégica para o país devido às suas abundantes fontes de água, e em 2006 sua importância foi legalmente reconhecida internacionalmente pela Convenção de Zonas Úmidas RAMSAR (RAMSAR 2008).

 

¿Como foi concebida a iniciativa?

 

O primeiro contato com a Rede Ibero-Americana de Florestas Modelos (RIAFM) começou em 2007, a partir do qual se iniciou o processo de implantação da Floresta Modelo Lachuá (FML) com as primeiras oficinas sobre o conceito de Florestas Modelos voltadas para atores do Instituto Nacional Florestal (INAB), Parque Nacional Laguna Lachuá (PNLL) e Projeto Laguna Lachuá (PLL). Com o aval da Direção do INAB e da Direção do Projeto Lachuá, decidiu-se promover a iniciativa Floresta Modelo Lachuá, iniciando assim um processo de socialização do conceito com os atores mais relevantes da Ecorregião (associações produtivas, conselhos de desenvolvimento comunitário, instituições públicas e privadas e Município de Cobán).

 

Mais tarde, as organizações locais perceberam que de forma organizada era possível obter influência política. Assim, promoveu-se a formação de uma organização de segundo nível, a Fundação Lachuá (FUNDALACHUÁ), constituída como uma aliança estratégica de organizações locais composta por 4 Associações de Produtores, 1 Associação de Mulheres e 2 Conselhos Comunitários de Segundo Nível. No início, a FUNDALACHUÁ foi a força unificadora e impulsionadora da construção da FML.

Paisagem

¿Qual a sua diversidade biofísica?

 

Os 54.000 hectares que compõem a FML estão localizados no município de Cobán, departamento de Alta Verapaz. Aproximadamente um quinto das espécies de mamíferos silvestres da Guatemala vivem na área, com destaque para a presença da onça-pintada(Panthera onca),da anta centro americana pirus bairdii,do bugio centro americano(Alouatta pigra)e de 35 espécies de peixes no sistema hidrológico formado pelos rios e pela lagoa Lachuá , que fazem parte da grande bacia do rio Usumacinta, uma das regiões com maior pluviosidade e endemismo ictiológico de toda a Mesoamérica.

A FML inclui o Parque Nacional Laguna Lachuá (PNLL) e sua área de influência.

 

Embora a área seja ecologicamente bem preservada com amostras de florestas representativas da região, socialmente sofreu os resquícios do conflito armado que durou 36 anos na Guatemala e terminou com a assinatura do Acordos de Paz em 1996. Além disso, na FML há sete áreas destinadas à proteção e conservação, uma privada (Sítio Chajumpec), uma municipal (Fazenda Municipal Salinas de los Nueve Cerros) e 4 áreas de reserva comunitária (Faisán I, Pataté Icbolay, Rocja’ Pomtilá, San Luis Chiquito).

 

¿Qual é a sua diversidade sociocultural e económica?

 

Nesta região convergem 55 comunidades de população maioritariamente do Grupo Étnico Q’eqchi’, o que representa uma perda de 18.500 habitantes, que emigram para as áreas de Polochic, A.V. e Purulha, B. V. A visão de mundo dos Q’eqchi’s se manifesta de diversas formas, como a tradição oral (provérbios, histórias, mitos, etc.), rituais, cerimônias, rezas e rendas. Os Q’eqchi’es honram yTzuultaq’a (colina-vale) que aparece em sonhos falando com eles. A vida dos Q’eqchi é baseada principalmente em suas atividades agrícolas, guiadas pela observação da lua, rituais como o Watesink (dar de comer) e o Mayejak (oferenda-sacrifício), o jejum e a análise de sinais. Para os Q’eqchi, o mundo tem uma parte material e uma parte espiritual.

 

A produção na área é baseada em sistemas de produção agrícola, como o cultivo de milho e feijão, que são os principais grãos básicos para suprir as necessidades alimentares dos habitantes. Alguns sistemas agroflorestais existentes são o sistema floresta-cardamomo, recentemente floresta-cacau. Na área de influência da floresta modelo existem atualmente seis associações produtivas de base comunitária com seus respectivos gestores e técnicos.

Alianças


 

Visão

Ser a organização líder na eco-região de Lachuá na facilitação de oportunidades de desenvolvimento econômico, ambiental e social sustentável, em harmonia com a natureza.

 

 

Missão

Promover programas de desenvolvimento econômico, ambiental e social para garantir a subsistência sustentável da população e contribuir para a construção de uma sociedade justa, próspera e em harmonia com a natureza.

 

 


 

¿Quem compõe a Floresta Modelo Lachuá?

 

A entidade promotora da FML é a Fundação Lachuá (FUNDALACHUÁ), uma organização que reúne todas as organizações de primeiro e segundo nível, e que tem representação no nível Ecorregional. Foi legalmente criada para promover a FMl. Os parceiros com o trabalho da FUNDALACHUÁ são:

 

 

 

¿Como são tomadas as decisões?

 

As decisões da FML são tomadas por seu Conselho de Administração, cuja presidência é de responsabilidade da FUNDALACHUÁ, sendo responsável por revisar, atualizar e executar ações diretas na Ecorregião Lachuá, de acordo com o plano de ação estabelecido.

 

¿Quem compõe o Conselho de Administração?

 

 

Sustentabilidade


Objetivos estratégicos

 

OE1: Apoiar o desenvolvimento da Floresta Modelo Lachuá, fortalecendo suas capacidades gerenciais, técnicas e administrativas.

 

OE2: Desenvolver o processo permanente de formação de capital humano com o objetivo de conscientizar, educar e criar capacidades técnicas locais em questões relevantes para a Floresta Modelo Lachuá.

 

OE3: Desenvolver ações estratégicas para a implementação de mecanismos que possibilitem a conservação do Parque Nacional Laguna Lachuá e a gestão sustentável dos recursos naturais em sua área de influência.

 

OE4: Apoiar o desenvolvimento de empreendimentos produtivos e alianças comerciais, compatíveis com a conservação e gestão sustentável dos recursos naturais da Ecorregião Lachuá.

 


 

¿Quais ações a Floresta Modelo realiza?

 

Projetos de desenvolvimento sustentável

 

RESTAURAcción (2021),em parceria com o Governo do Canadá, está trabalhando em uma série de treinamentos voltados à população em questões de restauração da paisagem florestal (manejo florestal, reflorestamento, aumento da biodiversidade e cobertura e sua ligação com a restauração), controle e prevenção de incêndios florestais e igualdade de gênero; bem como o desenvolvimento do plano estratégico FML e o aperfeiçoamento das ferramentas de comunicação interna e externa através da sistematização de experiências de restauração com sistemas cacaueiros e da implementação do website.

 

 

“Fortalecimento das capacidades dos produtores agroflorestais da Ecorregião Lachúa, em Alta Verapaz, para a restauração de paisagens agroflorestais degradadas e o desenvolvimento de negócios rurais inclusivos” (2018-2020),em aliança com a FAO e KOIKA, com o objetivo de aumentar a capacidades dos produtores agroflorestais rurais da Ecorregião Lachuá, Alta Verapaz, de se adaptarem às mudanças climáticas por meio da restauração de suas terras degradadas, do desenvolvimento inclusivo de negócios, e do mercado de produtos agroflorestais, o programa visou melhorar a resiliência de seus meios de subsistência. O projeto também elevou para 500 o número de sistemas de produção agroflorestal com práticas e medidas de restauração integradas, bem como 225 pessoas treinadas em questões de restauração de paisagens florestais.

Impactos

Impactos no capital natural

 

Conservação e gestão dos recursos naturais

 

Foram criados 143 planos de manejo vinculados aos programas de incentivo florestal, totalizando mais de 500 hectares de áreas manejadas.

 

Melhoria das condições de vida

 

27 mulheres e 83 homens treinados em desenvolvimento de negócios agroflorestais inclusivos e agregação de valor, contribuindo para sua capacidade de gerar melhor renda familiar para cobrir suas necessidades básicas fundamentais.

 

Impactos

 

i) Mudanças climáticas, que serão abordadas com a recuperação de locais degradados e gestão de projetos que contribuam para a resiliência dos produtores.

 

ii) Relações com a comunidade, para as quais o processo de comunicação está sendo aprimorado considerando as condições da população da FML.

Outra informação